16/10/2011

Encerrar e iniciar ciclos

Não acredito nessa coisa tão determinista que chamam de destino, mas, ao mesmo tempo em que penso que somos nós os responsáveis pelo que nos acontece durante esta jornada - a vida -, às vezes acredito também que existem coisas que não nos ocorrem por acaso. Cada vez mais me convenço disso, principalmente quando paro para pensar nas pessoas que conheci nos últimos meses, nos lugares por onde andei e em alguns acontecimentos – os quais eu não vou detalhar aqui e que poderão, talvez, ser retratados num futuro post...

A vida é feita de ciclos. Alguns nos trazem mais felicidade, outros menos. Cabe a nós sabermos aproveitar cada fase – as boas e as ruins, não querendo ser maniqueísta... –, pois sempre há o que se aprender. Não estou falando nada que alguém já não tenha dito antes, mas é que hoje deu vontade de registrar aqui – e retomar este espaço, depois de tanto tempo abandonado – esse momento de mudança pelo qual eu passo. É mais um ciclo que se encerra. São experiências que vão ficar guardadas em mim.

E aqui estou, aberta aos novos desafios e aprendizados que vêm por aí...

video

2012, chega logo! Eu mal posso esperar! :-)

O vídeo foi retirado daqui.

3 comentários:

Solange disse...

E que venham os novos desafios e aprendizados!!!
A vida é isso mesmo...um eterno recomeçar...e a cada dia que nasce, nasce também a certeza de que nada como um dia após o outro pra arregaçarmos as mangas e seguirmos em frente cada vez mais sem medo de ser feliz....:D

Laerte Magalhães disse...

É admirável como me surpreendo com vc. A impressão mais forte que eu tenho é que vc está sempre precavida, que tem sempre um pé atrás, que se contém por uma timidez e uma autoproteção sem medidas. No entanto,vc se arremessa ao mundo como uma trapezista que se arremete em um trapézio, sem rede de proteção. Por outro lado, eu sei que é esta sua coragem que todos precisamos para vencer desafios. Torço que vc conquiste todos os seus sonhos, que nunca abra mão desta sua determinação e que conte sempre a benção de Deus.

Fernanda Dino disse...

Nossa, professor... obrigada!