12/10/2012

Para quem quer aprender alemão: ,,wo ein Wille ist, ist auch ein Weg!“


 

Comecei a estudar alemão no início de 2011, mas de uma maneira bem leve e, principalmente, por curiosidade. Naquele momento, eu achava que tão cedo não seria capaz de conseguir conversar auf Deutsch, mas queria saber algumas palavrinhas e expressões para utilizar numa viagem que estavas prestes a fazer – na época, como turista e por duas semanas, apenas.

Conheci as primeiras palavras e sons em alemão por meio do site Livemocha, um tipo de rede social formada por pessoas que desejam aprender idiomas e ajudar outras ensinando sua língua materna. Mas era tudo muito básico. Aprendi muito pouco, não sei se por falta de interesse, na época, ou pela didática do site. Hoje eu penso que ele deva ser melhor para quem já tem algum nível de conhecimento do idioma que deseja aprender e, por meio da rede, queira manter contato e conhecer pessoas que o tenham como língua nativa. 

Passei a me dedicar mais ao alemão no segundo semestre de 2011, depois que decidi vir ao país passar o  ano de 2012 trabalhando como Au-Pair. Para obter o visto, eu precisava ter um nível de conhecimento básico da língua. Sobre essa história, você pode ler algo neste post.

Foi vindo para a Alemanha que, de fato, eu comecei a falar alemão. Isso não quer dizer que para aprender o idioma você tenha que vir ao país – conheço pessoas que estudam no Brasil e conseguiram aprender muito! –, mas, no meu caso, foi quando cheguei aqui que realmente parei para estudar a língua, de verdade. No ano passado essa não era minha prioridade, mas, a partir do momento em que cheguei aqui, decidi que queria me comunicar. E consegui.

Não falo perfeitamente, não entendo tudo que leio ou ouço, mas consigo me virar bem e aprendi rápido, considerando que estou aqui há apenas oito meses. Em 2013, pretendo fazer o teste de proficiência para comprovar que tenho o nível B2 de conhecimento da língua. Enquanto isso, continuarei estudando e praticando. A meta agora não é apenas conseguir me comunicar (porque isto eu já consigo), mas ampliar o vocabulário e falar corretamente, sem fugir dos padrões gramaticais (quem já tem alguma noção de alemão sabe da quantidade de regrinhas que temos de aprender hehehe).

Para quem está começando, deixo aqui algumas dicas:

1- Eu sempre indico o site da BBC. Foi lá que, basicamente, me preparei para obter o visto. Na época, comecei a fazer esse curso, online, gratuito, pelo site, que duraria 12 semanas. Infelizmente, ele não está mais disponível, mas o site ainda oferece outras possibilidades neste link. No site da Deutsche Welle há também muito material para quem quer aprender, nesta página.


2- Adquira livros, mas não adianta comprar todos os livros de alemão que você vir pela frente, sem realmente utilizá-los. Melhor ir com calma - se você tiver tempo de dar conta de tudo ao mesmo tempo, vá em frente! =D. Mas, para mim, acho que é melhor concluir o primeiro livro, depois ir para o segundo e, quando estiver num nível mais avançado, comprar uma gramática. 


Quando comecei a me interessar em aprender alemão, ganhei de uma amiga os dois primeiros volumes do Themen Aktuell. Depois, quando iniciei um curso na universidade, meses antes de viajar, comprei o Tangram Aktuell. O primeiro é muito utilizado em cursos no Brasil e na também na Alemanha. Mas eu gostei muito de aprender com o Tangran, principalmente porque ao final dos exercícios de cada unidade, ele tem uma lista de palavras para você traduzir. No primeiro curso que fiz aqui na Alemanha, utilizei o Berliner Platz 2. No curso que estou agora, que é para quem deseja obter o nível B2, estudo com o Berliner Platz 4. Todos eles vêm com CD e exercícios para cada unidade ao final do livro. 


3- Dicionário: eu ainda estou com meu primeiro dicionário, um Michaellis Alemão-Português/Português-Alemão, mas sinto que ele não é mais suficiente, porque não me oferece todas as informações que eu preciso. Quero comprar agora um dicionário da editora Langescheidt, por dar informações mais detalhadas. Mas, para quem está iniciando, acho que o Michaellis é suficiente e mais prático que o da Langescheidt. 


4- Eu gosto de internet e geralmente estudo com o computador ligado, porque de vez em quando quero pesquisar alguma coisa que li num livro e que gostaria de saber mais. Com a internet, isso fica bem mais fácil. Para quem, como eu, também gosta de utilizar a grande rede para fazer exercícios e buscar diferentes fontes de aprendizado, vale a pena visitar blogs especializados e seguir páginas no Facebook que ensinem o idioma. 

Um blog que recomendo é o Quero Aprender Alemão. Ele é escrito de uma maneira bem didática e bem-humorada por um brasileiro que dá aulas de alemão. No Facebook, recomendo, além da página desse blog, a DW - Learn German e Ich liebe Deutsch. Geralmente elas trazem dicas rápidas, imagens e pequenos testes e acredito que os textos, por não serem muito extensos, são mais fáceis e práticos de ler, o que nos ajuda a enriquecer o vocabulário de uma maneira não-maçante. 

5- Algo que me ajuda no dia-a-dia é fazer tabelas, lembretes e algumas notas para colá-las na parede. Cada vez que sento em frente ao computador, vejo à minha frente também aquelas regras de gramática (ou mesmo palavras) que mais tenho necessidade de lembrar no momento ou que tenho dificuldade de memorizar. À medida que vou aprendendo, vou tirando da parede e colocando novos lembretes. 


6- Para quem já estuda há algum tempo, é sempre bom fazer exercícios. Assim, conseguimos fixar o que já aprendemos e verificar aquilo que ainda não conseguimos entender de verdade. Neste link há vários exercícios, para os mais diversos níveis. 

7- Fale, escreva, leia, converse em alemão. Se tiver a chance de conversar com pessoas que falem o idioma, faça isso. Aqui não perco nenhuma oportunidade de encontrar pessoas, seja para tomar um café, para uma festa de aniversário ou alguma situação em que eu possa estabelecer um diálogo. O mau de quem está aprendendo uma língua nova, muitas vezes, é ter medo de falar e errar. Eu sei o que é isso, porque já fui assim em relação ao inglês e foi uma barreira que tive de vencer. Não tenha medo de errar! O importante é estar ciente dos erros e procurar corrigi-los. É falando, é no contato com a língua, que mais se aprende e mais se percebe aonde é preciso melhorar.

No mais, acho que VONTADE é a palavra-chave para quem quer aprender qualquer coisa. Quando somos determinados e estabelecemos uma meta, conseguimos aquilo que queremos. Alemão não é uma língua fácil, mas tudo se torna simples e prazeroso para quem se dedica. Afinal, ,,wo ein Wille ist, ist auch ein Weg“! 

Nenhum comentário: