08/03/2008

Lixo na rua é questão cultural - Parte VI

(Última parte)

Consciência ambiental

O professor Paulo Borges, engenheiro florestal com mestrado em Ecologia e especialização em Gestão Ambiental, ressalta a necessidade de se promover uma “revolução cultural”. Para o especialista, a educação ambiental ensinada nas escolas é feita de forma errônea, incentivando a prática da reciclagem, quando, na verdade, deve-se primar pela não produção de lixo. “Não adianta nada enfeitar a Avenida Frei Serafim com garrafas pet. Passou o natal, aquilo dali já vira lixo. Nós temos mesmo é que promover uma revolução cultural muito grande. Não é possível que a gente consuma mais nenhum produto que venha em garrafa pet, porque não tem o que fazer com ela. Pode-se fazer um brinquedinho ou outro, mas, mais cedo ou mais tarde, aquilo vai virar lixo de novo”, expõe.

Ele ainda cita outro exemplo: “se você observar quase todo mundo tem um celular. Você compra um celular, que é pequeno: ele vem dentro de uma embalagem, que vem dentro de outra, dentro de outra etc. Tudo aquilo que se está levando para casa, fora o celular, é lixo”.

Outra saída apontada pelo professor é o reaproveitamento do lixo, algo diferente da reciclagem. “Reaproveitar é quando você utiliza o objeto da forma como ele é, sem precisar transformá-lo. Um exemplo é uma caixa de óculos: posso utilizá-la como um porta canetas”.

Para o professor, o problema do acúmulo de lixo no centro da cidade só poderá ser solucionado através de uma melhor organização do espaço. “O problema do lixo no centro de Teresina só vai ser resolvido quando houver a retirada dos ambulantes daquela região e a revitalização daquele ambiente, através de política adequada, pois da forma como está não tem como resolver. Acredito que com a construção do shopping dos camelôs vai dar para ordenar aquele ambiente”, analisa.

Lixo na rua é questão cultural - Parte I

Lixo na rua é questão cultural - Parte II

Lixo na rua é questão cultural - Parte III

Um comentário:

Jota Pê_The disse...

Parabéns pela série de textos tão importantes! Ah; quando puderes, acesse ao www.ceedh-piaui.blogspot.com