04/05/2008

O que comer?


Com o quilo custando mais de R$ 7 e a unidade cerca de R$ 0,35, só sei que a cada dia o pão está virando artigo de luxo. Da mesma forma o feijão (que está custando cerca de R$ 5 - o mais barato) e o arroz (que agora custa por volta de R$ 2,50), já não são mais pra mesa de qualquer um. Estou pensando em virar vegetariana e plantar alface no meu quintal.

Produção de biocombustível X Alta nos preços dos alimentos

Uma reportagem da Agência Brasil, publicada na última sexta-feira (3) diz que o relator da ONU pediu suspensão de novos investimentos em biocombustíveis. Para Olivier de Schutter (relator das Nações Unidas sobre o direito à alimentação), segundo a Agência, "a produção de bicombustíveis é um dos fatores que têm levado à crise de falta de alimentos no mundo [...]a produção de biocombustíveis requer grandes quantidades de água, energia e conduz ao desmatamento em muitos países. Ele também citou, dentre outros fatores, 25 anos de desatenção à agricultura nos países em desenvolvimento, políticas que trazem aos agricultores dificuldade em viver de seus cultivos, e ainda o alto nível de concentração de poder no setor de produção e de distribuição de alimentos".

Olivier de Schutter foi nomeado pelo Conselho de Direitos Humanos, no dia 25 de março deste ano, em substituição a Jean Ziegler. No antepenúltimo dia como relator, Ziegler foi mais enfático que Schutter e pediu a suspensão total da produção de biocombustíveis. Ziegler aponta que a destinação de terras para produção de biocombustíveis é uma das causas do aumento dos preços dos produtos agrícolas.

As pessoas estão comendo mais: isso é bom ou ruim?

O presidente Lula acha que a alta nos preços dos alimentos acontece porque as pessoas estão comendo mais. A Folha Online, no dia 11/04, publicou uma fala de Lula acerca do assunto: “a inflação sobre os alimentos é decorrente do fato de que as pessoas estão comendo mais [...] ora, na medida em que mais gente começa a comer carne, produtos de soja, trigo... se a produção de alimentos não aumentar, obviamente que nós vamos ter inflação."

Para especialistas, como o que falou em matéria publicada no dia 25/04 ao G1, “a oferta caiu. Os estoques diminuíram com o desequilíbrio entre a oferta e a demanda, e os preços subiram”, afirma Roberto Rodrigues, coordenador do Centro de Agronegócios da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Na matéria, afirma-se que os preços sobem aqui no Brasil por causa de vários fatores: o mundo está consumindo mais; a produção não acompanhou o ritmo; e até o petróleo em alta está atrapalhando o brasileiro na hora de fazer as compras do mês.

Saída

Vou plantar alface no meu quintal.

Um comentário:

Bruno disse...

Estranho ainda não terem culpado a dengue, os pais da Isabela, o Padre Voador ou os travestis do Ronaldo pela alta do preço. Tsi, isso me lembra jogos de estratégia do tipo "age of empires": se você direciona seus recursos para um lado, eles irão faltar no outro. Simples assim.